Marco António Costa
Marco António Costa - Facebook  Marco António Costa - Youtube
NEWSLETTER
 
Bookmark and Share
14.11.2013

PSD pede moderação aos Socialistas e apela a maior abertura ao diálogo

"Queria aqui deixar mais uma vez um pedido expresso ao PS que modere a sua posição, que apresente uma atitude de maior abertura ao diálogo interpartidário, porque numa democracia moderna como esta que nós somos, é importante que os partidos conversem", afirmou Marco António Costa, em declarações aos jornalistas no final de uma reunião com responsáveis da União da Misericórdias Portuguesas.

Lembrando anteriores convites aos socialistas para o diálogo, o Porta-Voz do PSD criticou a atitude do PS de "autismo absoluto" aos apelos sociais-democratas.

"O apelo que eu deixo ao PS é um apelo sincero, que modere a sua posição e que aceite sentar-se à mesa para trabalharmos em conjunto pelo país", insistiu Marco António Costa.

Marco António Costa admitiu, contudo, a existência de "pontos de vista muito distintos", mas reiterou que do diálogo sairá sempre qualquer coisa de positivo.

Por isso, acrescentou, é que o "diálogo é tão importante".

Questionado sobre os alertas deixados pelo Fundo Monetário Internacional para o perigo de tensões políticas, o Porta-Voz do PSD afastou qualquer hipótese de instabilidade dento do Governo, frisando a "enorme coesão interna" que o executivo tem relevado dada a situação de emergência nacional que o país está a atravessar.

"Dada a emergência nacional que estamos a atravessar, temos um Governo muito coeso, muito responsável, que se tem revelado inabalável no caminho que está a fazer", sustentou, reiterando que os dois maiores partidos portugueses é que não podem continuar afastados de um diálogo institucional.

"É um tanto ou quanto incompreensível que o PS diga que quer e deseja discutir as coisas mediante propostas concretas apresentadas no Parlamento, quando elas lá chegam o PS tem dito que está contra essas propostas e recusa-se a discuti-las e vota contra, porque diz que devia ter havido um diálogo prévio para preparar as propostas", afirmou Marco António Costa, repetindo que o que os sociais-democratas pedem é um diálogo prévio de preparação das propostas para uma concertarão estratégica.

Desta forma, continuou, o que é preciso transmitir para o exterior é este "diálogo mais alargado", "um diálogo concreto e efetivo" e não um diálogo para "entreter a opinião pública".

"É preciso um diálogo consequente e o PSD está empenhadíssimo nesse diálogo consequente", reforçou.

A propósito do diálogo institucional, o Porta-voz do PSD lembrou os encontros que têm acontecido entre os sociais-democratas e os parceiros sociais, entre os quais se insere a reunião desta manhã com a União das Misericórdias Portuguesas.

 

Nesta reunião, adiantou, foi discutido o papel que a União das Misericórdias Portuguesas e a rede social e solidária em que está inserida pode desempenhar na reforma do Estado e até que ponto se poderá levar a delegação de competências e a cooperação com as organizações da sociedade civil.

"Acreditamos que a sociedade civil se consegue organizar e prestar serviços de maior qualidade, com maior proximidade e, portanto, com maior fiscalização dessa mesma qualidade através destas organizações e acreditamos que muito do peso do Estado pode vir a ser significativamente reduzido se delegado através do princípio da subsidariedade, mas também através do princípio da cooperação com o setor social e solidário", defendeu o Porta-Voz do PSD.

 

« Retroceder | Imprimir | Topo da página

Marco António Costa na Tomada de Posse da nova Comissão Política do PSD de Vila Franca de Xira



Marco António Costas nas Conferências do PSD "Portugal no Rumo Certo - OE 2014"



«SETEMBRO 2020»
DSTQQSS
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930
FAQS     PRIVACIDADE     RECOMENDAR SITE     LINKS     SUGESTÕES Powered by 4best 4best New Media Studio Marco António Costa © todos os direitos reservados.